O início da rotina de treinos de um atleta muitas vezes é pontuado por eventos surpresa, que funcionam como inspiração ou motivação extra. Se você precisa de um empurrãozinho para começar a correr (ou se mexer, que seja!), encontrou o post da sua vida. 

As histórias de quatro embaixadores da Corrida 1P5P certamente irão inspirar você a levantar do sofá, incluir exercícios na sua rotina ou, pelo menos, juntar-se à Reserva em uma corrida contra a fome – falta de motivação não é mais desculpa hein galera, bora!

A Corrida 1P5P acontece no dia 23 de outubro no Rio de Janeiro. Ela é parte do Projeto 1P5P de combate à fome, adotada pela Reserva em maio de 2016 – até hoje, mais de 3 milhões de pratos já foram doados. Saiba como participar aqui.


vinicius-zimbrao
Vinicius Zimbrão

Professor de Ed. Física e atleta da equipe brasileira de corridas de aventura

Zimbrão foi diagnosticado com câncer em 2014 e decidiu falar abertamente sobre o tratamento nas redes sociais. Durante as sessões de quimioterapia, que duravam quatro horas, ele publicava posts pedindo que seus seguidores praticassem alguma atividade física por pelo menos 30 minutos. Amigos e seguidores fizeram mais: começaram a organizar eventos esportivos para celebrar o esporte e a cura de Zimbrão. Campeão brasileiro em corridas de aventura – ele compete desde 2011 -, o atleta agora promove uma série de eventos de combate e prevenção ao câncer, entre eles o Outubro Rosa (câncer de mama).

“Os desafios ao corpo e à mente impostos pelo esporte foram decisivos para eu não me deixar abater pelo câncer.”


paulo

Paulo Santos

Empresário e maratonista

Há dois anos, perder peso e adotar uma vida ativa deixou de ser opção para Paulo: virou recomendação médica. Ele estava com pressão alta, pesava 108kg e precisava deixar 20kg para trás. Caminhar na esteira foi o primeiro remédio – sim, ele caminhava por obrigação. Em um ano, perdeu 28kg. Depois, acelerou – passou a correr 6 vezes por semana. Em 2015, Paulo conseguiu finalizar a Maratona do Rio. Foram 42km em 5h44. Agora, orgulha-se em dizer que leva menos de 2 horas para concluir uma meia maratona. Ele já está na sétima.


karen

Karen Sussmann

Nutricionista e atleta de triatlo

A mãe de Karen, Claudia, já era uma corredora experiente quando Karen resolveu encarar, pela primeira vez, a meia maratona do Rio. Muito à frente da filha, Claudia decidiu aguardar Karen para cruzarem a linha de chegada juntas. O gesto virou parceira. Mãe e filha passaram a treinar também ciclismo e natação e, seis anos depois, Claudia é só aplausos para a filha: Karen acaba de sagrar-se campeã da Rio Triathlon 2016.

“A corrida é onde a mente descansa e o corpo cansa.”


gui-leporace

Guilherme Leporace

Fotógrafo do jornal O Globo e triatleta

O maior orgulho do fotógrafo Guilherme Leporace é ter concluído a Meia Maratona de Buenos Aires em 2015, prova que está entre as maiores da América do Sul em número de participantes. Guilherme tinha uma lesão e fortes dores no joelho. O clima frio, com termômetros na casa dos 4 graus, era outro desafio para um amante do calor carioca. Guilherme completou a prova e descobriu um novo motivo para continuar correndo: vencer os limites do próprio corpo. Nesse ano, ele começou a participar de provas de triatlo. Ave Guilherme!

 


Você sabia?

O paranaense Vanderlei Cordeiro de Lima liderava a maratona dos Jogos Olímpicos de Athenas quando foi atacado por um ex-sacerdote, que o derrubou no chão e quase o tirou da prova. Vanderlei levantou e conseguiu alcançar a medalha de prata. Vanderlei recebeu a medalha Pierre de Coubertin, concedida a atletas que valorizam o esporte mais que a própria vitória, um dos prêmios mais nobres concedidos pelo Comitê Olímpico Internacional (COI). Foi Vanderlei que acendeu a tocha das Olimpíadas do Rio. 

vdasilva


mitos-e-verdades-sobre-corrida


 QUER SER AVISADO SOBRE NOSSOS PRÓXIMOS POSTS?