A Reserva ama contar histórias de verdade, de gente de verdade. E acredita que histórias que tocam, emocionam, causam aquele frio na barriga, devem ser compartilhadas. Para celebrar o Dia dos Namorados, convocamos três casais para compartilhar suas histórias de amor. Conheça as histórias, compartilhe, conte a sua também nas redes sociais e marque a gente com a #namoradosreserva. Porque amor quando bate, fica. Vem amar com a gente.

Você já sentiu ou parou para pensar o que é amor? Quem ama, sempre responde a essa pergunta com um rubor no rosto, um sorriso maroto, um olhar envergonhado, e até com uma lágrimas. Fala das qualidades da pessoa, faz um chamego, dá um beijo se a pessoa está ao lado. Colocar em palavras o que se sente não é moleza. É emoção pura. Conheça a história de amor da Ana e do Gabriel.

Quem é a Ana: Ana Carolina, 23 anos. Carioca, trabalha com design gráfico.

Quem é o Gabriel: Gabriel Rodriguez Zepeda, 26 anos. Carioca, trabalha com publicidade.

Como vocês se conheceram?

Gabriel: Nos conhecemos no aplicativo Happn. Foi muito difícil de convencê-la a sair comigo… Ela teve que me stalkear muito, eu tentei fazer o mesmo, mas todos os perfis da Ana eram bloqueados. A única foto que dava pra ver o rosto dela era uma foto em que ela segurava um churros! Por causa dessa foto, passei um tempo chamando a Ana de menina do churros. Nosso primeiro encontro foi em um bar em Botafogo e foi lá que aconteceu o primeiro beijo. Esse beijo levou na verdade a tarde inteira pra rolar, mais de cinco horas! Quando finalmente rolou, um cara que estava bêbado começou a aplaudir e a gritar muito alto, foi engraçado.

Ana: Ele fala até hoje sobre uma conversa que tivemos no app numa terça ou quarta-feira. Marcamos um encontro para sexta e então ele se despediu e disse “até sexta”. Aí eu respondi “como você quer sair na sexta e não vai falar comigo até lá?”. Ele ficou impressionado, falando que ninguém falava isso pra ele.

Qual foi a primeira impressão que você teve dela (ou dele)? 

Ana: Ele estava passando mal no dia do primeiro encontro, então ele estava meio cansado, hehe… Mas notei que era estiloso, comunicativo, “cabeça”, e que não desiste fácil das coisas.

Gabriel: Um pessoa totalmente retraída, mas muito inteligente e de bom gosto para as coisas em geral

E a relação de vocês, como é? Porque você acha que funciona?

Gabriel: Nossa relação é muito tranquila, a gente nunca briga por nada, mas sempre estamos pregando peças um no outro de várias maneiras. Uma vez eu passei um trote pra ela fingindo que era uma amiga. Perguntei várias coisas sobre mim e ela contou tudo! Depois que desligamos, liguei de novo contando que era eu e ela, claro, custou a acreditar. Sou bom com vozes =).

Acho que nossa relação funciona porque somos muito parecidos em quase tudo, do estilo e paladar a ideologias. A gente encontrou parceria e apoio na companhia um do outro, sem cobranças e tudo com muito respeito.

Alguma história engraçada ou inesquecível que você gostaria de compartilhar?

Gabriel: Nosso terceiro encontro, no cinema, foi muito bom… A gente estava no meio da seção e a mãe dela ligou. Como ela não queria falar para a mãe que estava saindo comigo para não criar expectativas, ela saiu correndo para atender o celular fora da sala e acabou caindo escada abaixo! Todo mundo do cinema se levantou para ajudá-la menos eu, que estava vendo o filme e não imaginava o que tinha acontecido.

Descreva a Ana (ou o Gabriel) em 3 palavras… 

Gabriel: Magra de Ruim!

Ana: Companheiro, palhaço e exagerado.


QUER SER AVISADO SOBRE NOSSOS PRÓXIMOS POSTS?