Páginas de um novo mundo: Cláudia Kubrusly e sua Editora Voo

Fala galera,
Um novo capítulo da nossa sociedade civil começa quando mais e mais pessoas despertam para uma outra forma de fazer negócios — uma mais empenhada em fazer o bem, enquanto financeiramente saudável.
Quem tem escrito uma história bastante particular, ainda dentro desse espectro, é a Editora Voo, pilotada pelas advogadas Cláudia Kubrusly e Joana Mello e, mais recentemente, pela jornalista Priscila Seixas.

Fotos: Diogo Narita / Reserva

Direto de Curitiba, onde mora, Cláudia, de 35 anos, relata que dedicava sua carreira às práticas legais, mas que queria se sentir mais realizada profissionalmente. “Sempre fui uma inconformada, nunca aceitei essa coisa de ‘ah, as coisas são assim mesmo’. Não, não são, porque tudo pode ser melhor”, conta Cláudia, que sempre fora fascinada por livros, mas não contava com experiência empreendedora.
Pois que decidiu que seu primeiro passo seria a educação: passou a frequentar cursos e palestras ligados à área e, num congresso de publicações em Nova York, conheceu Joana, cujo discurso e anseio ecoavam os seus.

“Levamos muito a sério essa missão de apenas focar em livros que faz sentido e fazem sentir.”

Foi Joana quem primeiro leu “Start Something that Matters”, que fala sobre ter propósito para empreender, uma obra do americano Blake Mycoskie, fundador da TOMS, uma marca que doa um par de sapato para cada par vendido em sua loja. A identificação com a escrita do empresário foi tanta que Claudia embarcou na leitura — e foi uma viagem sem volta!
A Editora Voo nasceu há três anos, exatamente com a publicação do livro de Blake, lançado por aqui com o título “Comece Algo Que Faça A Diferença”. “Essa obra me abriu os olhos e nos fez entender que nosso objetivo era publicar livros que inspirem pessoas a melhorar o mundo. Não estamos falando de auto-ajuda, nem de literatura motivacional: são obras que nos transformam”, explica Claudia.
Muito mais que os títulos lançados, a Editora Voo — cujo slogan é “Livros mudam pessoas. Pessoas mudam o mundo” — se destaca por ser agente de transformação ativo e passivo: enquanto nos ajuda a ampliar nossos horizontes a partir desta leitura bem lapidada, a editora parte para o campo da ação ao propor uma contrapartida social para cada livro vendido.


“No começo a gente doava um livro infantil para cada unidade do ‘Comece Algo…’ vendido. Mas entendemos que fazia mais sentido contribuir com uma causa que tivesse alguma relação com a obra. Então, hoje, a gente analisa a história e pensa em uma maneira de colaborar com algo que faça sentido para o leitor e escritor”, e completa, “estamos estudando unificar a contribuição em uma causa única, para que tenha continuidade. Isso deve acontecer nos próximos dois meses, ainda estamos elaborando como fazer essa transição”.

“Sempre fui uma inconformada, nunca aceitei essa coisa de ‘ah, as coisas são assim mesmo’. Não, não são, porque tudo pode ser melhor”

O que já está mais do que bem consolidado dentro da Editora Voo e seus 8 títulos publicados é o fato de que as três sócias precisam ser impactadas pelas obras escolhidas. “Nosso ritmo e nosso propósito são outros. Levamos muito a sério essa missão de apenas focar em livros que faz sentido e fazem sentir. No começo era até difícil nos chamar de ‘editora’, porque é tão diferente… claro que temos objetivos comerciais, mas lançar um best-seller não é a nossa prioridade; mudar pessoas é”, pontua Cláudia.
Com diversos projetos engatilhados ainda para este ano, entre eles o livro “Trem Bala”, da compositora Ana Vilela, Cláudia confessa que não consegue apontar favoritos entre as obras de seu selo. “É como escolher um filho, impossível escolher um. Claro que o “Comece Algo…” é especial, porque ele fez nascer a Voo e fez nascer algo novo em mim. Mas o “É Tão Chocolate”, de Dylan Siegel, por exemplo, me trouxe grandes amizades. Todos os títulos são igualmente especiais, e todos eles contam uma história em si, e uma história em nossas vidas também”. Comemorando o crescente aumento do número de pessoas que se identificam com o trabalho da editora, Cláudia e suas sócias acreditam que há terreno fértil em terras nacionais, uma vez que diversos projetos e pessoas inspiradoras estão ganhando mais visibilidade no país — e tudo o que faltava era alguém para contar sobre tudo isso. Agora não falta mais nada: apertemos os cintos e nos preparemos para a decolagem, porque a viagem é só de ida e o destino é um mundo melhor!
Beijo,
Rony Meisler

– INSPIRE-SE NO ESTILO DA CLÁUDIA –

0028272Compre Já

QUER SER AVISADO SOBRE NOSSOS PRÓXIMOS POSTS?