Quando é hora de fazer as malas

No amor, a gente não gosta de ser trocado por ninguém. Aqui na Reserva, acontece a mesma coisa. Uma antiga cliente do Mini Tijuca ficou insatisfeita com a falta de atenção. Sempre foi muito bem atendida, mas ultimamente não estava sendo tratada como gostaria. Resultado: trocou de loja e acabou fazendo suas compras no Mini Leblon.

Ficamos de coração partido. Será que não merecíamos seu perdão? Se ele existe nas melhores famílias, nas histórias de amor mais românticas, nas canções dos grandes poetas… por que não poderíamos lutar para conquistá-lo?

No mesmo dia, arrumamos uma mala com o maior carinho. Não a mala de quem se despede, antes de viajar para longe. Era a mala do reencontro, do abraço. Das pessoas que juntam as suas coisas e desejam viver felizes para sempre.

Dentro dela, o funcionário Matheus colocou um cartão muito bem escrito e uma caixa de chocolate “Língua de Gato”. No cartão, ele brincou e anotou o número do celular, dizendo que estava 24 horas à disposição. Além disso, destacou que essas falhas não iriam mais acontecer.

Pouco tempo depois, recebeu a seguinte mensagem: “Matheus, a mala chegou e a abri agora. Adorei as peças ordenadas! Vão me ajudar na hora de escolher as que eu quero. Hoje passo uma posição, tá? Obrigada pelo chocolate. Nota mil para você e a equipe do Mini Tijuca. Na inauguração da minha loja quero todos lá”.

Um pequeno gesto, mas um grande passo para uma nova história que estamos construindo aqui no Mini Tijuca.

Daniela Castro – Mini Tijuca


 QUER SER AVISADO SOBRE NOSSOS PRÓXIMOS POSTS?