Com quantos limões se faz uma limonada? Nós aqui da Reserva sabemos que não tem receita. Um pouco de humor, ou melhor: muito humor – coloca aí também a extrema vontade de acertar e um monte de maluco para executar a ideia. É o que somos, o que fazemos e até aonde iremos quando temos limão e a sede de transformar e (re)inventar nas mãos.

“A Reserva já nasce de um limão”, respondeu Rony quando perguntado sobre impasses que a marca enfrentou. A filosofia da Reserva vem de reações. Reagimos, porque acreditamos na capacidade de superar, resistir e seguir em frente.

O livro “Rebeldes têm asas” traz três histórias dentro da trajetória Reserva que provam nossa capacidade de rir de nós mesmos, se reinventar e se transformar diante de momentos ameaçadores.

HUMOR

Quem poderia imaginar, por exemplo, que depois do segundo assalto na loja do Jardins, em São Paulo, nós seriamos notícia em veículos nacionais e internacionais. El País, The Guardian, New York Times falaram sobre a repercussão do nosso vídeo para divulgar nossa liquidação progressiva com as imagens do assalto.

A ideia foi do Davi, um dos designers da época, que sugeriu ao Rony usar as imagens da câmera de segurança, que filmou toda a ação dos assaltantes. Ideia aceita. Vídeo feito. Mais de 330 mil visualizações. Viralizou. No vídeo publicado ainda tinha o recado do Rony: “Já que vocês roubaram a nossa loja, estamos nos dando o direito de roubar os seus direitos de imagem, torcendo para que apareçam para nos cobrar isto.” Depois, lançamos uma vitrine de liquidação inspirada no episódio.

PERSISTÊNCIA

Mais uma vez a Reserva Jardins pedia atenção. Em 2014, um tempo depois dos assaltos, a loja sofreu um incêndio e desmoronou. Uma funcionária ficou presa nos escombros, foi socorrida e ficou bem. Todo transtorno e prejuízo foram confundidos com má sorte. “Desculpem-me, mas vender a loja é o cacete!”, foi a resposta do Rony. Nossa loja multisserviço renasceu das cinzas como uma fênix, e hoje tem três andares: no primeiro andar a loja de produtos; no segundo, uma barbearia e, no terceiro, um espaço de coworking e uma cafeteria – um espaço que não pára de crescer.

RESPONSABILIDADE SOCIAL

Nossa última história é sobre empatia, sobre responsabilidade social. Acreditamos na transformação, não apenas na nossa, mas principalmente, na que a sociedade precisa. Depois de várias ligações, Rony acessou um portal notícias e lá estava Diego Raimundo da Silva Santos, o “Mister M”, traficante que se entregou após a invasão do exército para implementar a UPP no Complexo do Alemão, vestido com uma polo original da Reserva.

José Júnior, fundador do AfroReggae e irmão da família Reserva, acompanhava o caso. Junto com o Rony abriram portas ao invés de grades. A reinserção do rapaz só dependia da sua própria vontade. Depois de cumprir a pena na prisão, Diego mostrou interesse em se tornar cinegrafista e trabalhar para o AfroReggae. Na época, a Reserva trabalhava na construção do branding da ONG. Por que não colocar Diego na campanha? A ideia deu certo, transformou uma vida e contribuiu para fortalecer ainda mais o papel da marca como agente social. A campanha foi lançada no São Paulo Fashion Week e as fotos foram feitas por ninguém menos que JR Duran. A ousadia tem asas.

Empreender é olhar problemas por dentro e por fora, é reinventar, é insistir. Acreditamos em asas porque elas simbolizam a força e a vontade de irmos além de um negócio. A história do limão que hoje é a Reserva está nas páginas de “Rebeldes têm asas”. Garanta agora o exemplar do seu livro!