Táxi sustentável: Danilo Lamy e o primeiro aplicativo de transporte compartilhado em bicicletas

Fala galera,

Quando voltou ao Brasil depois de uma temporada de três anos em Nova York, o economista Danilo Lamy não suportava perder uma hora no trânsito paulistano a caminho do trabalho. Em 2016, se mudou para o bairro da Vila Leopoldina e resolveu testar a ciclovia que passava ao lado de sua casa e seguia até a avenida Faria Lima, onde ficava seu escritório. Não levou muito tempo para decidir trocar o carro por uma bike elétrica. Danilo ficou tão entusiasmado com a rapidez que chegava ao trabalho que tentou convencer os colegas a adotar o mesmo meio de transporte. “As pessoas tinham muitos ‘porém’ e diziam que não queriam chegar suados ou que não se sentiam seguros em pedalar sozinhas”, conta. “Pensei em uma maneira de juntar o conforto do transporte compartilhado com os benefícios da bicicleta, que é um meio mais rápido, mais gostoso e contribui para uma cidade melhor”. Foi assim que nasceu a Bikxi – assim mesmo, uma mistura de bike e táxi.

Fotos: Thays Bittar / Reserva

O aplicativo, que será lançado na próxima sexta-feira (22), quando se comemora o Dia Mundial Sem Carro, funciona nos moldes do Uber. Você digita o endereço onde está, o local onde quer ir e é avisado sobre onde encontrar o motorista, ou melhor, o ciclista, que te espera em uma bicicleta dupla elétrica. As rotas passam somente pelas ciclovias e, neste primeiro momento, vão atender aos cerca de 20 quilômetros que conectam a Ceagesp, na zona oeste, ao Shopping Morumbi, zona sul de São Paulo. Durante o mês agosto, o aplicativo funcionou em versão de testes e mais de mil corridas foram realizadas em menos de trinta dias. “As estruturas já estão prontas, então é só criar uma maneira de incentivar as pessoas a usarem as ciclovias”, diz Danilo. “Ao contrário do carro, podemos colocar mais e mais bicicletas na rua e elas não vão atrapalhar ninguém, só criar uma alternativa sustentável”.

“Pensei em uma maneira de juntar o conforto do transporte compartilhado com os benefícios da bicicleta, que é um meio mais rápido, mais gostoso e contribui para uma cidade melhor”

Quando decidiu levar a ideia adiante, Danilo começou a pesquisar sistemas semelhantes em outros lugares do mundo. Não encontrou. “O mais próximo eram os riquexós, aquele tuk tuk que é usado para passar nos parques em Nova York”, afirma. “Mas ele é um trambolhão e um triciclo atrapalharia os outros ciclistas”. A solução foi desenvolver um novo modelo. Em parceria com um escritório de design, desenhou uma bicicleta dupla, elétrica e com pedal independente – ou seja, o passageiro só pedala junto se quiser. O design ainda ganhou um cesto e uma bolsinha para guardar o celular e outros pertences menores.

A partir desta sexta-feira o aplicativo da Bikxi estará disponível para download. Na primeira fase da operação, onze motoristas treinados vão atender aos clientes na ciclovia que passa pelas avenidas Dr. Gastão Vidigal, Prof. Fonseca Rodrigues, Faria Lima, Hélio Pellegrino, Eng. Luis Carlos Berrini e Chucri Zaidan (veja aqui todas as rotas disponíveis). Os preços são cobrados pelo aplicativo e calculados por quilômetros rodados – afinal, o tempo não é tão variável quanto em uma viagem de carro. Uma corrida entre o metrô Faria Lima e o Shopping Iguatemi, por exemplo, vai custar cerca de 3 reais. Com a Bikxi, vão faltar desculpas para ficar parado no trânsito.

beijos,

– INSPIRE-SE NO ESTILO DO DANILO

 

QUER SER AVISADO SOBRE NOSSOS PRÓXIMOS POSTS?