Gustavo Fuga, da 4You2, e a democratização do ensino do inglês

Fala galera,

Foi a própria trajetória que inspirou Gustavo Fuga a criar a 4You2, rede de escolas de inglês de baixo custo alocadas em regiões periféricas de São Paulo. Em 2011, aos 18 anos, quando entrou no curso de Economia da Universidade de São Paulo, ele se viu em desvantagem em relação aos colegas de classe que, em sua maioria, dominavam diversas línguas, enquanto ele não entendia quase nada de inglês. “Foi muito difícil porque quase todos os textos pedidos em aula não eram em português”, relembra. “A universidade pública já é elitista, mas o curso de economia é ainda mais. Todo mundo da turma falava inglês fluentemente, já tinha viajado o mundo inteiro, e eu não manjava nada”.

Fotos: Thays Bittar | Reserva

A história começou a mudar quando ele se aproximou da AISEC, rede internacional de estudantes intercambistas em cujo escritório ele começou a trabalhar voluntariamente. Responsável por intermediar o contato com ONGs brasileiras que tinham interesse em empregar estrangeiros, Gustavo acabou conhecendo alunos de diversas nacionalidades e até mesmo hospedando alguns deles em sua casa. “Hospedei alemão, americano, argentino, um monte de gringo… Foi a partir desse convívio que aprendi a falar inglês em um ano”, conta.

Foi em uma dessas negociações pela AISEC que a 4You2 precisou ser “inventada” às pressas. Na última hora, uma ONG desistiu de empregar um estudante que já estava em solo brasileiro. Para contornar a situação, Gustavo disse que tinha um projeto de ensino de inglês no qual ele poderia trabalhar. “Na verdade, eu não havia pensado em fazer nada desse tipo, mas no caminho do Shopping Eldorado até o Butantã, onde morava, a ideia veio vindo”, recorda. “O modelo de negócio foi montado em um dia e até hoje não mudou”.

“Queremos democratizar o ensino de inglês e as trocas culturais no Brasil, mudar as estatísticas. Por que só rico pode conhecer outras culturas e trocar ideia com outras pessoas?”

A ideia era simples e, ao mesmo tempo, desafiadora: proporcionar aos estudantes das classes C, D e E, a preços acessíveis, a mesma oportunidade que ele teve, de aprender a língua de Shakespeare diretamente com falantes estrangeiros. Com o plano em mente, ele montou um stand durante um evento no CEU Cantos do Amanhecer para atrair os primeiros alunos. Levou alguns estudantes estrangeiros da USP para conversar com o público e afixou um cartaz improvisado com a inscrição “curso de inglês por R$ 55”. “Saímos de lá com 50 nomes, 50 telefones e uma promessa de iniciar as aulas em 30 dias”, conta.


Em abril de 2012, a primeira unidade da 4You2 recebia seus primeiros alunos na Fábrica da Criatividade, no Capão Redondo, zona sul de São Paulo. Desde então, foram abertas mais 4 filiais na capital paulista (Santana, Heliópolis, Jardim Ângela e Campo Limpo), por onde já passaram mais de 10 mil alunos e 350 professores, de 47 nacionalidades diferentes, que foram remunerados pelo seu trabalho e hospedados em casas de famílias dos bairros em que as escolas estão localizadas. Os planos de crescimento continuam em franca expansão: no fim de novembro, as cidades de João Pessoa (PB) e Pedro Leopoldo (MG) também ganharam escolas da rede, cujo valor das mensalidades, assim como nas demais unidades, vão de R$ 59 a R$ 140, dependendo da carga horária escolhida.

“Criamos um curso muito barato, com um professor que fala inglês e, muitas vezes, nem fala português. Promovemos um intercâmbio tanto dentro da escola quanto nas casas das famílias que hospedam os estrangeiros”, explica o empreendedor. “Foi essa experiência que tive e que me marcou, de aprender convivendo com o diferente. Queremos democratizar o ensino de inglês e as trocas culturais no Brasil, mudar as estatísticas. Por que só rico pode conhecer outras culturas e trocar ideia com outras pessoas?”.

beijos,

– INSPIRE-SE NO ESTILO DO GUSTAVO

QUER SER AVISADO SOBRE NOSSOS PRÓXIMOS POSTS?