Ana Julia Ghirello, da abeLLha: empreender tem que ser simples

Fala galera,

Em 2016, Ana Julia Ghirello transformou em realidade uma ideia que estava trazendo havia um tempo. Deixou um cargo de executiva na OLX e um processo para ocupar a vaga número um do Airbnb no Brasil. Mas, como ela diz, Ana é “toda coração”. E foi o coração quem falou mais alto, dizendo que estava na hora de investir naquela vontade antiga. A abeLLha, uma incubadora de negócios que fazem a diferença para a sociedade, surgiu assim, com o intuito de mudar um pouco esse mundo em que a gente vive.

Claro que ser general manager do Airbnb por aqui pesou um pouco na balança e Ana titubeou. “Pensei: se eu tivesse 50 milhões de dólares na minha conta, eu ainda estaria tomando essa decisão?”. A resposta foi não. Ela não tinha os 50 milhões, mas tinha juntado uma grana, que investiu na abertura da abeLLha e no GoodPeople, um app que abriu com o amigo Max Kejzelman, e que serve justamente para unir quem quer empreender na área social (hoje ela atua como conselheira) e para viver algum tempo se dedicando aos seus novos empreendimentos.

Fotos: Thays Bittar/Reserva

Mas, claro, a razão também estava lá. “Eu sou muito coração, mas também invisto pesado em planejamento,  em gestão”, diz Ana. E por isso que seu sonho virou uma realidade que vem se solidificando. Nesses dois anos, a Abellha incubou empresas que estão no chamado early stage, aquelas que ainda não têm tamanho para receber grandes investimentos, mas que precisam de organização, boa gestão e dinheiro para ir adiante. “A gente analisa o negócio, dá todo o apoio para crescer e começa a aproximar essas pessoas dos investidores, depois levamos uma taxa de sucesso quando o ‘casamento’ acontece”. A mentoria dura de um a dois anos.

Até hoje, foram 22 negócios incubados, 11 deles se graduaram, ou seja, chegaram ao fim do programa com sucesso. No momento, 5 estão em estagio de tração, que é a fase de mais risco, quando a empresa ganha corpo e sai para buscar investimento no mercado. “Fazemos a ponte com os investidores para acelerar esses negócios”, diz.

São startups como Re-Ciclo, de Porto Alegre, que busca o lixo orgânico nas casas para impedir que termine entre as 1500 toneladas diárias jogadas no aterro sanitário da cidade. E transforma tudo em adubo. A Tem Açúcar, app que incentiva o compartilhamento entre vizinhos, e a Diaspora Black, agência de viagens que conecta turistas e anfitriões interessados em difundir e entender a cultura negra, são outras das empresas que passaram por ali.

Para dar conta de administrar tudo isso, Ana e sua equipe criaram o Honeycomb, uma metodologia de gestão descentralizada e transparente que simplifica a vida dos empreendedores e que se transformou em uma terceira empresa do grupo. “A gente ama simplificar. Queremos tornar acessível esse negócio de gestão horizontal, que é muito falado, mas pouco exercido de fato”, diz. No momento, ela está ensinando essa simplicidade em um curso de gestão de projetos, em parceria com a Sputnik, o braço in company da escola Perestroika.

No momento, a abeLLha acaba de receber investimentos e se prepara para colocar no ar um novo serviço, a abeLLha Digital, uma ferramenta disponível por site e aplicativo para empresas que precisam gerir melhor suas finanças, vendas e planejamento (incluindo aí a metolodologia Honeycomb). Tudo a partir desse estilo simplificado difundido por Ana. Startups, no entanto, poderão usar o ferramental gratuitamente. “Simplificar serve para todos, é o que acreditamos e fazemos por aqui”.

Beijos

 

– INSPIRE-SE NO ESTILO DA ANA JULIA


• Camiseta longa amassadinha

• Calça Jeans 5511 Prata

QUER SER AVISADO SOBRE NOSSOS PRÓXIMOS POSTS?