Breno Bitencourt e Caroline Villar, da Souvie: a ética vem antes da estética

Fala galera,

Quando alguém pergunta a Breno Bitencourt se os cosméticos da Souvie são testados em animais, ele responde logo que são testados nos filhos mesmo. “Eu digo brincando, mas é verdade que as crianças usam quase tudo, não tem nada ali que prejudique a saúde”, diz. O sonho da empresa nasceu quando sua sócia, e na época esposa, Caroline, levou para casa um kit para fazer sabonetes. Era para ser um jeito de passar o tempo pois os dois tinham outras carreiras. Breno liderava uma empresa de táxi aéreo e Caroline, nutricionista, dava aulas na faculdade.

Fotos: Thays Bittar/ Reserva

O hobby foi crescendo e os dois começaram a estudar o assunto a fundo. Descobriram que os cosméticos comuns e maquiagem que mulheres e homens usam diariamente contêm dezenas de químicos prejudiciais à saúde, capazes de causar desde alergias até intoxicações mais sérias. Alguns até mesmo com ingredientes cancerígenos e metais pesados. Pensaram em produzir algo que não tivesse qualquer risco e que seus trigêmeos, na época com 5 anos de idade, pudessem usar tranquilamente. “Se a gente só dava alimentos orgânicos para eles, porque usaríamos cosméticos cheios de químicos?”, diz Breno.

Passaram a testar produtos, fórmulas, estudaram o assunto e investiram no desenvolvimento por anos. Até que, em 2015, nasceu a Souvie, uma empresa de cosméticos orgânicos certificados. São cremes, óleos, shampoos e até pomada para prevenir assaduras em bebês, tudo feito sem derivados de petróleo, sem químicos prejudiciais ao organismo, sem testes em animais e com quase tudo vindo da natureza – além de uma parte de matérias-primas orgânicas. “Mas não é por ser orgânicos que aceitamos cosméticos que não façam o efeito desejado. Investimos para fazer cremes muito bons, com a diferença de fazerem só o bem”, diz Caroline.

Fazia alguns anos, o pai de Breno, Nelson Jorge, havia comprado uma fazenda de produção de alimentos no interior de São Paulo e resolveu transformar a propriedade em uma plantação de frutas orgânicas (ele é dono dos sorvetes La Naturelle). Espaço havia de sobra – então Breno e Caroline viram ali a oportunidade de produzir matéria-prima para os seus cosméticos. “Havíamos estudado muito o assunto e queríamos um produto que alimentasse a pele, pois é o maior órgão do corpo. Queríamos um produto ético e não só estético”, diz Breno.

Com investimento inicial de R$ 30 milhões, a Souvie criou uma linha de produtos para bebês, uma para gestantes e outra mais genérica, que inclui cremes que combatem o envelhecimento e produtos para o cabelo, tudo certificado pela Ecocert, órgão francês que fiscaliza as empresas que recebem seu selo. Para merecerem essa certificação, os cosméticos têm que ter 95% de matéria-prima natural, sendo ao menos 20% orgânica. E não utilizar processos que façam mal à saúde ou ao ambiente.

A tapioca usada no creme para assaduras da linha de recém-nascidos, por exemplo, teve que ser importada de Israel. “Embora seja a mesma produzida no Brasil, o processamento daqui usa radiação – e isso está fora das normas da Ecocert”, explica Caroline. Dá mais trabalho do que fazer um produto comum? Claro que dá. “Mas é o que a gente espera que seja o futuro. Ao usar matéria-prima orgânica, eu crio impacto sobre toda a cadeia de produção e, aos poucos, isso muda o mercado e o mundo”, diz Breno. Daqui, a gente torce para que essa responsabilidade se espalhe cada vez mais.

Beijos

– INSPIRE-SE NO ESTILO DA CAROLINE E DO BRENO

Breno Jorge
Camisa Enxuto | Calça Casual Iron

Caroline Villar

Camisa Trama | Calça Spine

QUER SER AVISADO SOBRE NOSSOS PRÓXIMOS POSTS?